VII Encontro nacional do Setor de Mobilidade Humana da CNBB (participação do IMDH – Pastoral dos Refugiados)

IMG 8599

Foto: IMDH

O Setor Mobilidade Humana, da CNBB, realizou, de 17 a 19 de agosto no Recanto de Assis, em Belo Horizonte/MG, o VII Encontro Anual e reuniu a Pastoral dos Refugiados, o Apostolado do Mar, as pastorais dos Nômades, Rodoviária, Turismo, Migrantes, Nipo-Brasileira, Estudantes Internacionais e o trabalho pastoral na Tríplice Fronteira.

O evento, organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora da CNBB, da qual o Setor Mobilidade Humana faz parte, teve como objetivo refletir sobre a conjuntura social, política e eclesial e sobre o tema da mobilidade humana para identificar os desafios e apontar as respostas para uma “Igreja em Saída”. Na ocasião, cada Pastoral que compõe o Setor teve a oportunidade de partilhar a caminhada, analisar a conjuntura e traçar perspectivas de ação tanto para as pastorais, quanto para a articulação do Setor Mobilidade Humana.

Foi marcante, além de análise de conjuntura, a partilha de cada Pastoral, o que enriqueceu reciprocamente as diferentes áreas de atuação e também os e as participantes. Neste contexto, o Instituto Migrações e Direitos Humanos, representando a Pastoral dos Refugiados, apresentou, em breve exposição, a situação das migrações venezuelanas para o Brasil, fluxo expressivo desde fins de 2016 e de forma mais intensa em 2017. Ressaltou as várias iniciativas que vem sendo implementadas, especialmente pela Diocese de Roraima, pelas Irmãs Scalabrinianas, Jesuítas e outras forças da sociedade civil, para atender esta população que chega às centenas a cada semana. Ir. Rosita destacou, de modo especial, o esforço da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, de Pacaraima, que abriu um serviço essencial para a população migrante que se encontra naquela cidade: oferece café da manhã a mais de 200 pessoas por dia, e abriu o Centro Pastoral para Migrantes (CEPAMI), inaugurado no dia 7, em Paracaima/RR. Para isto, conta com o apoio total das Paróquias da Diocese de Roraima e das Irmãs Scalabrinianas.

Durante a programação, houve ainda uma visita ao Centro Zanmi, Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados em Belo Horizonte, para que os participantes pudessem conhecer o trabalho realizado pela instituição e dos desafios do atendimento diário para oferecer atendimento e apoio às pessoas migrantes e refugiadas, especialmente frente a falta de políticas públicas para esta população.

Refugiados e Refugiadas