A Fundação Scalabriniana, entidade de abrangência internacional que congrega as ações com mirantes e refugiados da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos, realizou no dia 18 de novembro, sua primeira assembleia geral, promovendo a articulação entre as entidades participantes e partilhando as etapas que propiciaram a viabilização desta iniciativa há tanto esperada pela Congregação.

A Fundação Sacalabriniana visa apoiar e estimular a atuação junto aos migrantes e refugiados, de forma solidária, onde ocorrem as maiores emergências, especialmente em favor de mulheres e crianças migrantes, refugiadas ou deslocadas forçosamente.

A secretária executiva da Fundação, Gaia Mormina, relata que a primeira assembleia plenária apresentou o trabalho da Fundação nos primeiros meses de funcionamento, a partir das cinco áreas de atuação, sendo Acolhimento, Educação e trabalho, Cooperação internacional, Proteção humanitária e Incidência política. “Temos conversado muito sobre a missão e a visão da Fundação e as irmãs estão participando deste caminho. Foi iniciada a discussão em grupos de trabalho para aprimorar os projetos na área da cooperação, voluntariado, comunicação e incidência política. A assembleia foi muito participativa, sendo a expressão de um sonho que se concretizou para que o trabalho das Irmãs Scalabrinianas seja mais conhecido no mundo”, destacou Gaia.

Constituída em 31 de janeiro de 2022, a Fundação Scalabriniana promove, cuida e difunde a consciência e o conhecimento dos direitos de cada ser humano, e dos migrantes e refugiados, em particular, e os valores de paz, justiça e solidariedade entre os povos. Também está em seu objetivo promover atividades de cooperação internacional em favor de países em desenvolvimento, voltadas à promoção dos direitos humanos, e dos migrantes e refugiados.

O Instituto Migrações e Direitos Humanos já aderiu à Fundação e expressa sua satisfação com o percurso trilhado e as perspectivas de atuação da nova entidade. Ir. Rosita Milesi, Diretora do IMDH e membro do Conselho Diretor, manifesta sua satisfação com o trabalho realizado. “A Fundação Scalabriniana, já em pleno funcionamento, constitui a concretização de um sonho na perspectiva de potencializar a ampla ação que as Irmãs, formandas, leigas e leigos, colaboradores e voluntários realizam no mundo junto aos migrantes e refugiados”, destacou.