Como parte das atividades da campanha pelos 16 dias de ativismo contra violência de gênero, foi realizada, neste sábado, 10 de dezembro, a Feira de Empreendedorismo de Mulheres e Pessoas LGBTQIA+ Refugiadas e Migrantes. O evento reuniu dez empreendimentos no Centro Cultural de Brasília com produtos à venda nos ramos de alimentação, moda e artesanato.

O evento iniciou com a apresentação do documentário “Meu corpo, minha fronteira”. A produção foi dirigida e encenada pelo diretor e ator Eduardo Mossri e pela diretora de teatro Karin Menatti e contou com a participação de pessoas migrantes e refugiadas de várias nacionalidades. A partir de relatos reais, o documentário emociona e promove uma reflexão atenta sobre as diversas formas de violência e exploração sexual que refugiados, migrantes e brasileiros sofrem.

A atividade reuniu a comunidade local e contou com a organização do Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH)/Fundação Scalabriniana, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiado (SJMR Brasil) e CVX Brasil.

Segundo Fátima Odeh-Moreira, Assistente de Integração do IMDH, essa é a segunda Feira que realizamos no CCB esse ano. “O IMDH tem compromisso em fortalecer a integração econômica de refugiados e migrantes e temos trabalhado para garantir apoio às iniciativas de geração autônoma de renda. A maioria dos empreendimentos expondo hoje já foram apoiados pelo Instituto. No marco dos 16 dias de ativismo contra a violência de gênero, nossa ideia foi, juntamente com as demais instituições organizadoras, promover um evento que enfatizasse a importância do apoio à independência econômica e autossuficiência de mulheres e população LGBTQIA+ através do empreendedorismo” afirma Fátima.